teoria da vida III

A escrita é um improviso da mão.

Quando cedemos ao que se passa

e aceitamos o que poderia.



O sonho é um improviso dos olhos.

Quando uma estrela explode no céu

e a achamos no chão a nossos pés.



O cicio é um improviso da fala.

Quando o som desfaz a ordem

e só existe o que existe o que existe.



O toque é um improviso do corpo.

Quando tudo para e só a pele

decide a presença do mundo.



A poesia é um improviso da prosa.

Quando cavalgamos entre o som e

o sentido em volta do pensamento.



A vida é um improviso da morte.

Quando esquecemos quem somos,

mas seguimos sem medo do tempo.
Anúncios