uma história da loucura à idade clássica dos quarenta

 
Aos quinze nos fascinam
aqueles que enlouquecem,
e buscamos um pouco desse tesouro,
enquanto no quarto ao lado
os pais se comem um ao outro
com inocentes pecados.
 
Aos vinte todos os dias
passeamos nossa loucura
(pais devidamente mortos)
por cidades satélites com suas ruas
penosamente percorridas
por pés anticartesianos.
 
Aos trinta ganhamos salário,
ensinamos nossa loucura
para alunos dogmáticos,
e descobrimos tipos sábios
cultivando suas certezas
com um sorriso fácil.
 
Aos quarenta vemos a loucura
com a máscara da  razão pública,
e nos exilamos no térreo da torre
trancados do lado de fora,
eu e você, cultivando nossos clichês
como dois pesa-nervos.
Anúncios

2 comentários em “uma história da loucura à idade clássica dos quarenta”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s