potlatch iii

… abandonar a ideia de ser poeta, abandonar a preocupação com sua carreira. Abandonar de fato, como se fosse para sempre – deixar para trás a possibilidade de expressar-se para o resto do mundo. Ao abandonar os planos de ser um profeta com toda a honra e toda a dignidade que isso implica, ao abandonar a glória da poesia e se entregar à sua própria mente (…) você deve estar decidido a escrever para si (…) não no sentido de impressionar a si próprio, mas no de escrever o que o seu “eu” diz.

[Allen Ginsberg apud Lewis Hyde, A dádiva, p.230.]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s