NOVO POEMA

Decidi entrar no jogo
sem notar que já estava
meio reserva assim quieto
meio de lado Ignorava
o que de mim ia e vinha
que expectativas eu tinha
Mas foi aqui junto a ti
que me instalei delicado
numa espécie de aventura
proibida é verdade
Você mal sabia das fábulas
que eu contava enviesadas
mas que agora suas mãos
seguram firme entre nós
É o que se passa em vertigem
entre os seus dedos das mãos
Nada sério É só um sonho
Assim foi o que senti
um sonho que me levou
diretamente ao chão
Nada sério É só a minha
vida Mas também a sua
E é bom saber que se
ocorrer de nós cairmos
e não nos ferirmos é
porque o poema ensina
a cair – conforme Luiza
categórica afirmou
e que humilde subscrevo
ciente de que neste jogo
erro vertigem e queda
são as verdadeiras vitórias
que o poema pode ter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s