POSTAGEM 34

Pastores de almas, vemos com olhos reprovadores a arte de seduzir. Escola do mundo, a sedução é um valor forte, infelizmente pintado com cores negativas pelo naturalismo moderno. Se o natural é perene nas suas vontades, se o natural é definitivo nos seus destinos, se o natural é verdadeiro nas suas estratégias, se o natural é autônomo no seu percurso, a sedução pode ser tudo, menos natural. E se pertence ao mundo dos artifícios e das estratégias, a moral logo tacá-lhe a pecha de perigosa. Banindo-a. Encontramos sedução em todo os jogos. A sedução é jogo que não se leva a sério para além do tempo regulamentar. O sedutor é alguém extremamente fiel às regras e às leis do jogo. Mas hoje os jogos se acham escravizados pela lógica da vitória, da finalidade, da verdade. O prazer de jogar sufocou-se em nome do gozo da vitória-derrota. Clímax e fim. Culto da morte. Culto da liberdade. Culto da hiperrealidade. Culto da exigência. Fim do desejo. Fim da imaginação, motor da vida. Onde a imaginação se rende, a perspectiva se encolhe e a representação perde sentido. O jogo simulado da sedução é substituído pela imagem dissimulada da pornografia, vazia de jogo e contrato, mas cheia de imposição e violência. Pois crente em uma verdade – anterior ou posterior – da sua imagem sem profundidade. Primeiríssimo plano. É como vivemos hoje. Tudo é arremessado em nossa cara, sem conseguirmos desviarmo-nos. Reto e direto. É preciso o elogio do oblíquo, como o Fernando Pessoa de Chuva Oblíqua, que escreveu: “Ouço a Esfinge rir por dentro / O som da minha pena a correr no papel… / Atravessa o eu não poder vê-la uma mão enorme, / Varre tudo para o canto do teto que fica por detrás de mim, / E sobre o papel onde escrevo, entre ele e a pena que escreve / Jaz o cadáver do rei Queóps, olhando-me com olhos muito abertos, / E entre os nossos olhares que se cruzam corre o Nilo / E uma alegria de barcos embandeirados erra / Numa diagonal difusa / Entre mim e o que eu penso…” É preciso o elogio da sedução. Encontramos aí a poesia.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s