MUNDO SOLITÁRIO CHEIO DE PASSARELAS

mundo solitário cheio de passarelas por nossas cabeças
prontas para a pane, sem permissão de aterrissagem
na avenida do canal.

beijamos a morte
que trazemos nos bolsos desabados do céu, quando
nossos mapas do olho observam tudo.

então escrevo,
com o aço roubado à superfície dos ossos,
nossos pequenos atos, que nos definem em código morse.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s