HUGUY RUPI

Nos idos já algo distantes de 1993, eu e Lima ‘verbo 21’ Trindade (ele ainda escrevia poesia e se chamava Vivaldo…) editamos em Brasília dois números do glorioso Folhetim Poético chamado HUGUY RUPI (um dia quem sabe explico o nome). No segundo número, de maio de 1994, publiquei uma de minhas aventuras tradutórias bissextas, o poema Sensation, do Rimbaud, que segue abaixo, ligeiramente modificado para o carnaval.

SENSAÇÃO

Por noites azuis de estio, sendas trilharei,
Picado pelo trigo, piso onde a erva cresça:
Sonhador, em meus pés seu frescor sentirei.
Deixarei o vento banhar minha cabeça.

Não mais falarei, nem em nada pensarei,
Mas o infinito amor à alma subir-me-á avante,
E, como um bebedor, longe, bem longe irei
Pela Relva – feliz como que leva amante.

SENSATION

Par les soirs bleues d’été, j’irai dans les sentiers,
Picoté par les blés, fouler l’herbe menue:
Rêveur, j’en sentirai la fraîcheur à mes pieds.
Je laisserai le vent baigner ma tête nue.

Je ne parlerai pas, je ne penserai rien:
Mais l’amour infinit me montera dans l’âme,
Et j’irai loin, bien loin, como un bohémien
Par la Nature – heureux comme avec une femme.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s