MEMÓRIA AFETIVA

Este poema do Nicolas Behr me despertou lembranças muitíssimo queridas e fundamentais. Já fui o homem do poema… ou seria o poema do homem?

minha poesia
é o que estou
vendo agora:

um homem
atravessando
a superquadra

[em Laranja seleta: poesia escolhida (1977-2007), RJ, Língua Geral, 2007, p.63]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s