DA SÉRIE ‘REESCRITAS’

SEM SAUDADES DO FUTURO

os pés cansados de seguir para o céu
viram-se de costas para o sol
de perfil para o sul
na linha transversal que atravessam por escrito
põem-se de pé no espaço e pairam sobre tudo
que amparo na esquina do mundo
atravessadores do acaso com que o tempo
menta a memória que não me ama
mas que eu amo e tramo deserto tamanho
em sabê-la menos que a hora, menos que a história
que a espera de um outrora sem saudades do futuro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s