MEMÓRIA IMPURA

Este texto já foi postado aqui, em prosa e sem o mesmo acabamento.

FRAGMENTOS MESTIÇOS

uma mistura uma fundura
uma dura mélange adúltera de tudo
uma mistura muito funda muito dura muito bruta
mais-do-que-madura podre porção peco quinhão
pirão punk mescla diversa
que dá em nada em noves fora
em projeto de outrora projeto de não-ser projeto de mestiço
etnia postiça mistura adúltera de tudo
pura caliça rebarba resto rebite triste de quem não existe
passado funesto presente desonesto
mistura adúltera de banto com branco
misto frio de galego preto doutor doméstica
neto-de-filha-de-mãe-de-santo
imigrante escravo & caboclo capiarara
e o que é?
e quem é?
nasceu da barra pesada de mãe em negror em flor
com pai em profunda brancura
sempre se pergunta qual o mais dificultoso?
qual o mais nervoso? qual o mais gostoso?
qual o mais? qual o menos?
erradas perguntas
qual a condição que não a reencenação do amor
das horas das estórias das memórias inglórias desse amor
ah o amor da sala pra cozinha
o amor do nobre que salva o bruto
o amor do dentro que acolhe o fora
o amor do alto encantado com o baixo
assim se amaram e repetiram de cor
as mesmas histórias de amor da história
e as mais cruas misturas adúlteras de amor
com suas funduras suas negruras suas brancuras suas fissuras
as duras origens duplas de um atravessador
eu atravesso & trago na face
a duplicidade crescida como barba por fazer
metade ausente na precariedade dos pêlos
metade presente na visibilidade material dos pêlos
& como queima
faço dela meu horóscopo meu ori meu anjo
meu ouro meu faro meu tesouro
rico & raro
repito meu destino de desatino de alegria de tristeza
sofreguidão paz proximidade lonjura arlequim pierrô
em mim em síntese perfeita em inexistência
pois quem atravessa a dor não se detém
é por ela detido
& não confio nem sou confiável
em mim não confio
faço da arte de atravessar fronteiras meu ofício
minha dupla vida única minha única dupla morte
& toda vida toda morte todo ofício
é um trabalho do corpo
o meu é borrado turvo indecifrável
à difícil superfície da pele
& continuo atravessador & atravesso a dor sem fim
& recuso ao dia & à noite qualquer proteção
ao convívio dos bons dos maus & da tempestade

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s