VIAGEM-VERTIGEM

Escrever é a oitava maravilha junto de produzir eventos que tratem de literatura. Dar aulas, ô… Fala-se em vocação, em potência da vontade, em o escambau, mas o poema do Sebastião Uchôa Leite abaixo diz muito de como me sinto hoje. E obrigado Kátia, João, Lande, Renata, Lima e aos que não puderam, de qualquer maneira.

MIGRAÇÃO

Aves migratórias
Nunca chegam a falcões
Cumpro o ciclo kármico
Um monstro sopra das ventosas
O meu Thermidor
Perseguidores corcundas
Vêm do Mar Negro
Adeus canal e luminárias
Esse mar sem metáforas
Minha origem
É minha linguagem
Desta concha-fundo de blocos
Só vejo a piscina
Minha vertigem é o vazio
Meu rigor o salto

[do livro A ficção vida, ed. 34, 1993, p. 49]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s