SAILORMOON PARA O FIM DE SEMANA

ELIPSES SERTANEJAS

Eu não nasci pra ser clássico de nascença:
Assestar o olímpico olhar sobre o mundo nítido,
Filtrar os miasmas externos e os espasmos do ego,
Sob a impassibilidade dos céus tranquilos e claros………
…………………………………………………………
Não cultivei nem cultivo a palidez altiva, a altivez seráfica…
Curto Sertum Palmarum Brasiliensium
de J. Barbosa Rodrigues.
Talhe elegante das palmeiras do sertão brasileiro.
Sondar com olhos insondáveis.
Perpassar as vistas pelo mundo e vê-lo
Depurado
Da obsessão de cifra.
Indecifráveis palmeiras. Com que fito decifrá-las?
…………………………………………………………………
…………………………………………………………………
Fiz tudo ao contrário… Sou todo ao convulsivo…
Cafarnaum de vielas de becos sem saídas…
Quebra-queixo feito da crosta de dura substância…..
…………………………………………. acervo de gravatás
……………………………espinheiras de pé de quixabeira
………………………..umbuzeiro retorcido da caatinga…
…………………………………………………………………
Um pária da família humana,
Cheio da paina das questões crispadas, cifradas, irresolvidas.
Cafarnaum de vielas e becos sem saídas ……………
………………………………………………………………..
Vim da dureza feito gumes……………………….
Desavim… pontudo… áspero e intratável como o cacto libertino…
………………………………………………………………….
…………………………………………………………………….

[do saudoso e dificílimo poeta Waly Salomão (1943-2003), no livro Tarifa de embarque, 2000, pp. 30-1]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s