AIMÉ CÉSAIRE

BELO SANGUE JORRADO

Cabeça troféu membros lacerados

dardo assassino belo sangue jorrado

ramagens perdidas margens contentes

infâncias infâncias conto demasiado revolvido
o amanhecer sobre a corrente morde feroz para nascer

Ó assassino atrasado

o pássaro de plumas outrora mais belas que o passado

exige a conta de suas plumas dispersas

[Aimé Césaire (1913- ), poeta, dramaturgo e político martinicano. Uma das figuras de ponta do movimento Négritude, que das décadas de 30 a 60 lutou pela independência das colônias africanas e caribenhas, ao mesmo tempo em que batalhou fortemente por uma forma de expressão poético-cultural própria aos negros do mundo. O poema acima foi retirado de uma antologia bilíngue publicada no Brasil: Poemas, Florianópolis, Letras Contemporâneas, 2006, trad. de Nelson Ubaldo e Péricles Prade]
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s