HOMEM-PEDRA

cascalho caído no turvo curso
rolo no rio ao sabor do que desgosto
inaptidão que me rapta o equilíbrio
e me arremessa nesse espesso líquido
caramujo casmurro, arrasto casulo
casa, casamata, cozinho matuto
rumino e depois deponho tudo
no remoinho do discurso
não me agrada abrigo para (tal e qual
valéry e drummond) dizer o tedium vitae
daí me jogue, me embole, me amole e role pedra
mesmo parada em meio à lida, e me perca
no leito que segue curvo, porém certo
ao mar aberto onde afundo – calhau –
arestas encharcadas de grosso sal
[do inédito Trabalhos do corpo]
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s